x

Palavra desordem
Arnaldo Antunes
São Paulo: Iluminuras, 2002

Projeto gráfico e capa, Arnaldo Antunes

Composto de frases independentes, uma por página, PALAVRA DESORDEM pode ser lido em sua seqüência, ou em qualquer ordem. A síntese, a concentração e o gosto pelo lúdico dão o tom de seu discurso. Epigramas, ditados, aforismos, máximas, axiomas, provérbios ou refrões. Slogans, ou antes, anti-slogans, já que não se prestam a divulgar qualquer produto, nem a transformar em produto qualquer idéia. Ao contrário, suas frases carregam um caráter libertário que pode ser explicitamente notado, tanto em relação à linguagem e seus usos, como em relação à vida em si (onde a linguagem nasce, "ou faz-se").
Suas 208 páginas foram desenhadas por Arnaldo como se fossem cartazes, que podem ser lidos em várias direções.
ISBN