ELA É TARJA PRETA

FICHA TÉCNICA

(Arnaldo Antunes, Betão Aguiar,

Felipe Cordeiro, Luê e Manoel Cordeiro)

 

quando ela chega de bandeja muito sem noção

abala o baile, em cada cara o queixo cai no chão

quando ela suge de lambuja dentro do salão

nem o doutor percebe tanta contra-indicação

vai subindo na cadeira e rebolando no balcão do bar

remexendo na gaveta essa capeta separando o par

a galera se excita e palpita: quem vai encarar?

quero ver, agora quero ver quem vai chegar

ela é tarja preta

é tarja preta

é tarja preta

é tarja preta

tem que ter receita

é tarja preta

é tarja preta

pode fazer mal pra você

ela  é uma princesa cinderela bela encantada

dando bola para todo mundo mas ninguém faz nada

nega quer confete, periguete do conto de fada

para alguém desencantar

mas enfeitiçou o namorado de outra namorada

que ficou ali no fim da festa meio abandonada

 se descontrolou, se embriagou não quis saber de nada

foi pedir satisfação, saiu dando porrada mas

ela é faixa preta

é faixa preta

é faixa preta

é faixa preta

tem que ter receita

é tarja preta

é tarja preta

pode fazer mal pra você

 

 

arnaldo antunes: voz

curumin: bateria, programações e vocais

chico salem: guitarra e vocais

betão aguiar: baixo e vocais

felipe cordeiro: guitarras e vocais

marcelo jeneci: teclados, sanfona e vocais

 

produção musical: betão aguiar e gabriel leite

 

produção executiva: caru zilber

 

assistente de estúdio: marcos limone

 

transportes: adilson matos

 

gravado no estúdio casa da lua por
gabriel leite e gabriel spazziani

editado e mixado no estúdio casa da lua por
gabriel leite

 

masterizado no estúdio classic master
por carlinhos freitas

 

agradecimentos: estúdio banda sonora

 

fotos de divulgação: rafael cañas

fotos do projeto gráfico: fernando laszlo

layout do hotsite: anna turra e marcia xavier

vídeo "making of":

imagens: caru zilber_edição: anna turra

realização: rosa celeste e libertà entretenimento

 

contato para shows Libertà Entretenimento

telefone: 55 (11) 9 6880.1922

rodrigo.vinhas@libertaentretenimento.com.br

contato para imprensa

telefone: 55 (11) 2574.5262

 

Arnaldo Antunes não pretendia lançar um disco novo este ano. Sua ideia era prosseguir fazendo os shows do Acústico MTV, que têm lhe dado grande prazer, e ir compondo para gravar apenas em 2014.

Seu último álbum de inéditas havia sido Iê Iê Iê (2009), tendo realizado depois disso dois registros ao vivo — Ao Vivo Lá em Casa (2011) e Acústico MTV (2012) —, além do projeto paralelo A Curva da Cintura (2011), gravado no Mali  com Edgard Scandurra e Toumani Diabaté.

Mas a vida atropelou seus planos. Na férias do início do ano acabou fazendo várias novas canções que o entusiasmaram e alimentaram seu desejo de entrar logo em estúdio.

Ao mesmo tempo, não queria interromper a turnê do Acústico, com previsão de ir até o final do ano, para mergulhar por dois ou três meses no estúdio, como costuma fazer nas gravações de um novo álbum.

Pensou então em ir gravando aos poucos, nos intervalos entre os shows e viagens, quando a agenda permitisse, para lançar no final do ano, deixando assim o trabalho ir se configurando num prazo mais largo.

Ao optar por esse processo, surgiu então uma ideia: Por que não ir também mostrando o disco aos poucos, já que os meios de veiculação digital permitem, e até mesmo propiciam isso? Poderia ir tendo um retorno interativo do público durante a feitura do próprio trabalho. Uma situação inédita e tentadora.

Arnaldo decidiu então postar, na página de abertura do seu site, uma faixa por mês, até outubro, quando lança o disco inteiro. Serão 4 músicas previamente lançadas no decorrer de quatro meses (junho, julho, agosto e setembro).

 A primeira delas será Muito Muito Pouco e estará disponível para ser ouvida em streaming, a partir do dia 03 de junho.

  As inserções acontecerão sempre na primeira segunda-feira de cada mês e as faixas virão acompanhadas de vídeos com depoimentos  e making-ofs das gravações, letras, fichas técnicas e um projeto gráfico especialmente concebido para o projeto.

 O disco se chamará Disco.

Arnaldo esclarece:

 “Não só pela brincadeira evidente (— Você já ouviu o disco do Arnaldo? / — Que disco? / — o Disco!), mas para jogar a reflexão sobre o que é um disco nesses tempos de música virtual, em que cresce o consumo de canções soltas dos álbuns, numa volta dos singles, ou dos antigos compactos. Pelo desejo de afirmar a importância do disco como algo caracteriza uma fase da obra de um artista, onde as canções se relacionam, onde conceitos temáticos ou sonoros se revelam, onde a ordem das músicas faz sentido, etc; e, paradoxalmente, aproveitar a liberdade de veicular faixas esparsas, independentemente, a cada mês. Para confundir um pouco mais essas noções sobre o nosso convívio com a música, que a internet vem transformando tanto”.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O SITE OFICIAL DE ARNALDO ANTUNES